Estrada, Internacional, Nacional

Volta ao Algarve: Vitória dominante e tranquila de Gerben Thijssen!

Volta ao Algarve: Vitória dominante e tranquila de Gerben Thijssen!

Gerben Thijssen (Intermarché – Wanty) superiorizou-se a toda a concorrência e triunfou tranquilamente na 1.ª tirada da Volta ao Algarve. O sprinter belga bateu o neerlandês Marijn van den Berg (EF Education – Easy Post) e o belga Jordi Meeus (BORA – hansgrohe), num sprint bem preparado pela equipa belga e que levou a uma vitória dominante de Thijssen!

Equipas portuguesas mostram-se na primeira fuga da ‘Algarvia’

A primeira fuga da 50.ª edição da Volta ao Algarve em Bicicleta foi constituída muito cedo, logo ao quilómetro 11, com 7 ciclistas a saltarem para a dianteira, com uma representação maioritária das equipas portuguesas. Os ciclistas em fuga, no dia de hoje, foram: Tobias Bayer (Alpecin-Deceuninck), Fábio Costa (ABTF Betão – Feirense), Tomas Contte (Aviludo – Louletano – Loulé Concelho), Diogo Narciso (Credibom / L.A. Alumínios / Marcos Car), Noah Campos (Kelly / Simoldes / UDO), César Fonte (Radio Popular – Paredes – Boavista) e Gonçalo Amado (Tavfer – Ovos Matinados – Mortágua). Noah Campos acabaria por ser o primeiro a ceder no grupo, na subida de Nave. Desta fuga resultou a atribuição da primeira camisola da montanha a Tomas Contte, visto que o ciclista argentino foi o primeiro a passar tanto na Aldeia dos Matos, como em Nave. Contte amealhou 7 pontos para a classificação da montanha, liderando com 3 pontos de vantagem para Gonçalo Amado.

A fuga acabaria por não ter muito espaço, sendo que a sua vantagem nunca ultrapassou os 3 minutos e 30 segundos de vantagem, e seria alcançada, quase na sua totalidade, a menos de 50 quilómetros do final, onde Tobias Bayer aproveitaria para se lançar a solo. Bayer acabaria por ser alcançado a 21 quilómetros do final, já após ter passado em primeiro lugar na Meta Volante, em Vila do Bispo.

Uma preparação do sprint cautelosa com uma queda à mistura

A 27 quilómetros do final deu-se uma grande queda coletiva, atirando ao chão cerca de um terço do pelotão, sendo que Wout van Aert e Sepp Kuss (Team Visma | Lease a Bike) foram apanhados nessa queda, porém chegariam ao pelotão pouco depois. Muitos ciclistas de equipas portuguesas estiveram envolvidos nessa queda, sendo que o que ficou pior tratado foi mesmo Gonçalo Amado.

Após essa queda foi a Soudal Quick-Step a controlar o pelotão, com um ritmo mais baixo do que seria de se esperar. A 3 quilómetros do final tudo voltou a acelerar e o pelotão preparou o sprint final a um ritmo vivo. O final foi algo atribulado e alguns dos comboios não tiveram a melhor colocação para a abordagem ao final. A Intermarché – Wanty foi a equipa que apareceu em maior evidência, com Gerben Thijssen a finalizar um grande trabalho da sua equipa, com um potente sprint. Rui Oliveira (UAE Team Emirates) foi o melhor português, em 6.º lugar, ao passo que Luís Mendonça (Sabgal / Anicolor) foi o melhor ciclista de equipas portuguesas, em 9.º lugar.

As classificações

Após a vitória na etapa, Thijssen, é o primeiro líder da prova, sendo que também tem na sua posse a camisola dos pontos. Tomas Contte é o líder da montanha e Magnus Sheffield o melhor jovem.

Written by - - 416 Views

No Comment

Please Post Your Comments & Reviews

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *