Estrada, Nacional

Volta a Portugal do Futuro: A prova rainha do escalão sub-23!

Volta a Portugal do Futuro: A prova rainha do escalão sub-23!

Tudo o que precisas de saber sobre as etapas!

1.ª Etapa: Caldas da Rainha – Pombal (142,4 quilómetros)

A prova começa logo com a mais longa tirada da edição deste ano. A ligação é relativamente plana, contando com 3 Metas Volantes, em São Martinho do Porto, Praia da Vieira e Mata Mourisca, e, ainda, 2 Contagens de Montanha na Nazaré (4.ª Categoria) e Ereiras (3.ª Categoria). A passagem por Ereiras promete ser o ponto quente da etapa, visto que após finalizados os 5,4 quilómetros da contagem de montanha o pelotão encontrar-se-á a 16,6 quilómetros da meta e, dependendo do ritmo que for impresso nessa subida, o pelotão pode ficar fracionado. Não será de se descartar que haja algum ataque na parte final da etapa e que chegue um pequeno grupo isolado à meta, no entanto a decisão deverá quedar-se por um sprint mais ou menos compacto.

Perfil da 1.ª Etapa.
Fonte Podium Events

2.ª Etapa: Figueiró dos Vinhos – Castelo Branco (140,7 quilómetros)

O segundo dia traz-nos um dia algo acidentado, sendo que irão existir 3 Metas Volantes, em Castanheira de Pêra, Sertã e Oleiros, e, ainda, 3 Contagens de Montanha (as duas primeiras de 3.ª Categoria e a última de 4.ª Categoria). A etapa não terá muito terreno plano, no entanto as passagens pelas contagens de montanha não deverão afigurar grande problema para o pelotão, sendo que a última delas se encontra instalada a 13,4 quilómetros da meta. Existe a probabilidade de o pelotão ir reduzindo o número de integrantes à medida que os quilómetros se vão acumulando, mas os principais sprinters terão tudo para disputar a etapa e os favoritos à geral não deverão perder tempo na jornada. A chegada será feita no habitual empedrado característico das chegadas da Volta a Portugal, em Castelo Branco. Tal como no dia anterior a etapa pode sorrir a um grupo de aventureiros que decida mexer na corrida e que não queiram deixar a decisão para um sprint mais alargado.

Perfil da 2.ª Etapa.
Fonte Podium Events

3.ª Etapa: Sernancelhe – São Pedro do Sul (São Macário) (127,5 quilómetros)

A etapa rainha da prova aparece no sábado, ao terceiro dia de prova. A jornada será dura, visto que não irá contar com muito terreno plano e acabará na única 1.ª Categoria da prova. Além da 1.ª Categoria que coincide com a linha de meta, a etapa irá contar com 2 3.ªs categorias, em Carregal e Vilar do Monte. A tirada contará, ainda, com 3 Metas Volantes, em Vila Nova de Paiva, Bodiosa e São Pedro do Sul.

Perfil da 3.ª Etapa.
Fonte Podium Events

São Macário volta a ser o ponto fulcral da prova sub-23 mais importante do calendário nacional, sendo que anteriormente foi palco de uma chegada nas edições de 2015, 2017 e 2022. A subida terá 9,1 quilómetros a aproximadamente 9% de pendente média e será o lugar onde o vencedor final da prova irá ser conhecido.

4.ª Etapa: Murtosa (Torreira) – Águeda (136,9 quilómetros)

A última tirada da prova pode ser considerada a etapa de consagração da prova, visto que é totalmente plana em quase toda a sua extensão. A jornada irá ter um circuito que levará os ciclistas a passarem 3 vezes pela meta, que contarão como as Metas Volantes do dia, antes da chegada final à quarta passagem pela Avenida 25 de Abril. Dentro desse circuito irá surgir a única dificuldade do dia em Belazaima do Chão (4.ª Categoria), que será ultrapassada 3 vezes. Espera-se que a etapa acabe num sprint compacto.

Perfil da 3.ª Etapa.
Fonte Podium Events

Esperam-se 4 dias cheios de emoção e de bastante público na estrada, com calor, trovoada e aguaceiros à mistura, que irão coroar o sub-23 mais forte!

A Portuguese Cycling Magazine irá estar presente na última etapa da prova, no domingo, estejam atentos às nossas redes sociais para um dia recheado de conteúdo!

Foto de Capa: João Calado / Podium Events

Written by - - 1297 Views

Páginas: 1 2 3 4

No Comment

Please Post Your Comments & Reviews

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *