Estrada, Nacional

Volta a Portugal Continente: A análise das equipas portuguesas

Volta a Portugal Continente: A análise das equipas portuguesas

Na terceira, e última, parte do nosso guia de antevisão chega o ponto alto: a análise das equipas portuguesas presentes na ‘Grandíssima’. A edição deste ano da Volta a Portugal terá as 9 equipas Continentais lusas à partida e serão estas as equipas que lutarão pela geral final da prova.

Se quiseres ficar a par das 9 equipas portuguesas e que ciclistas farão parte do pelotão, não percas a última parte da nossa antevisão!

Análise das etapas: AQUI

Análise das equipas estrangeiras: AQUI

Glassdrive / Q8 / Anicolor

Equipa presente na prova: Mauricio Moreira, Frederico Figueiredo, Luís Mendonça, Fábio Costa, James Whelan, Rafael Reis e Artem Nych.

A estrutura de Águeda é a campeã em título e terá uma equipa de luxo para defender esse título. A formação da Glassdrive / Q8 / Anicolor conta com 4 sérios candidatos ao título na edição deste ano da Grandíssima. Mauricio Moreira irá tentar reter o título, no entanto Frederico Figueiredo, James Whelan e Artem Nych apresentam argumentos mais que válidos para se candidatarem à vitória final, e a possibilidade que a equipa volte a ocupar os 3 lugares do pódio, tal como no ano passado, é grande. Luís Mendonça e Fábio Costa terão as suas chances nas etapas que terminem em pelotão compacto e Rafael Reis é o principal favorito a levar de vencida o prólogo e o contrarrelógio final. Um coletivo muito forte que irá lutar em todas as frentes.

A nossa escolha para figura em destaque: Mauricio Moreira, que tem tudo para revalidar o seu título na maior prova nacional e tem-se apresentado em excelente forma nos momentos-chave da temporada, a nível nacional.

Mauricio Moreira.
Foto: Podium Events

Efapel Cycling

Equipa presente na prova: Henrique Casimiro, Tiago Antunes, Emanuel Duarte, Aleksandr Grigorev, Pedro Pinto, Joaquim Silva e Rafael Silva.

No segundo ano do projeto de José Azevedo as expectativas em torno da Volta são a de lutar pelo melhor resultado possível, sendo que a ambição estará em levar de vencida a icónica prova nacional. Joaquim Silva (temporada consistente com alguns resultados de relevo internacionalmente) deverá partir como o chefe de fila, no entanto Henrique Casimiro (sempre presente nos momentos fulcrais das provas) terá uma palavra a dizer nesse campo, sendo que ambos contarão com o apoio de Emanuel Duarte e Pedro Pinto nas etapas de maior dificuldade. A equipa partirá com bastantes argumentos para almejar a vitória final, no entanto também terá uma palavra a dizer em todas as etapas: Tiago Antunes terá várias etapas para erguer os seus braços (chegada ao Larouco ou a Fafe, por exemplo); Rafael Silva deverá ser a carta para as etapas mais planas da competição, ele que é um dos homens mais rápidos do pelotão nacional e, ainda, Aleksandr Grigorev que poderá ser uma ameaça no prólogo e no contrarrelógio.

A nossa escolha para figura em destaque: Joaquim Silva, parte para esta Volta com claras ambições a lutar pela prova e melhorar o seu registo, até agora, na maior prova do calendário nacional.

Joaquim Silva.
Foto: João Fonseca Photographer / GP Beiras e Serra da Estrela

Kelly Simoldes UDO

Equipa presente na prova: Luís Gomes, Adrian Bustamante, Hélder Gonçalves, José Sousa, António Ferreira, Afonso Silva e Cesar David Guavita.

A equipa de Oliveira de Azeméis parte para mais uma Volta a Portugal com um elenco que tentará levar de vencida algumas etapas e que pode surpreender na geral da prova. Luís Gomes (muito regular em termos de resultados, como é seu apanágio), Hélder Gonçalves (este ano tem-se mostrado mais forte na montanha) e Adrian Bustamante (venceu uma etapa na Volta ao Alentejo) são os nomes que saltam mais à vista na formação oliveirense, eles que poderão ser cartadas para a geral da prova ou para vitórias em etapas, estando os 3 a protagonizar uma boa temporada em solo nacional, sendo coadjuvados por ciclistas como António Ferreira e Afonso Silva (que se têm mostrado a bom nível nas provas nacionais). Para as etapas mais talhadas aos homens mais rápidos da prova a equipa será encabeçada por José Sousa que obteve a sua primeira vitória como ciclista profissional durante o GP Douro Internacional, ele que também poderá ser um dos nomes a ter em conta no prólogo e contrarrelógio. Destaque para a incorporação do estagiário colombiano Cesar David Guavita no elenco para a Volta.

A nossa escolha para figura em destaque: Luís Gomes, além de estar na luta por várias etapas, como por exemplo as chegadas a Fafe ou ao Larouco terá aqui uma oportunidade para se imiscuir no top-10 da prova, algo que quase alcançou na pretérita edição.

Luís Gomes.
Foto: João Fonseca Photographer / GP Abimota

Credibom / L.A. Alumínios / Marcos Car

Equipa presente na prova: André Ramalho, Gonçalo Leaça, João Medeiros, Rodrigo Caixas, João Macedo, Diogo Narciso e Daniel Dias.

Uma das equipas mais jovens em competição irá partir para mais uma Volta a Portugal com o objetivo de mostrar as suas cores e envergar camisolas de classificações secundárias no decurso da prova, no entanto partem com legítimas ambições a vitórias em etapas. João Medeiros partirá como o ciclista que será a aposta na geral e tentará melhorar a classificação obtida no ano anterior, contando com a ajuda de João Macedo, sendo que Rodrigo Caixas deverá ser a aposta nas etapas que possam acabar ao sprint. Gonçalo Leaça e André Ramalho tentarão brilhar nas fugas e ganhar uma etapa dessa forma, sendo ambos ciclistas muito combativos e que dão sempre muita luta. De referir que Daniel Dias e Diogo Narciso irão estrear-se na ‘Grandíssima’.

A nossa escolha para figura em destaque: João Medeiros, depois de se estrear a vencer como ciclista profissional no GP Douro Internacional é possível melhorar o seu resultado na geral do ano passado, sendo que o top-15 será um objetivo que estará ao alcance do açoriano.

João Medeiros.
Foto: GP Douro Internacional

Tavfer – Ovos Matinados – Mortágua

Equipa presente na prova: João Matias, Bruno Silva, Gonçalo Carvalho, Francisco Morais, António Barbio, Leangel Linarez e Ángel Sánchez.

A estrutura de Mortágua tem evoluído, em termos de resultados, de temporada para temporada e no bloco presente para mais uma edição da Grandíssima tem opções para todo o tipo de etapas. Bruno Silva, Gonçalo Carvalho e Ángel Sánchez serão os nomes em maior evidência quando o terreno inclinar e tentarão estar, também, presentes na dianteira da corrida nas etapas de média montanha. Já para os sprints a equipa terá uma presença de luxo com João Matias e Leangel Linarez, 2 dos homens mais rápidos, a nível nacional, a estarem presentes em prova, eles que terão a preciosa ajuda de António Barbio e Francisco Morais (ele que se estreia na Volta) para lutarem por várias vitórias em etapa.

A nossa escolha para figura em destaque: João Matias, apesar do percalço na Vuelta a Castilla y León (lesionou-se num pulso), tem aqui uma excelente oportunidade de levar a camisola dos pontos para casa, algo que lhe fugiu o ano passado por muito pouco, mesmo tendo vencido 2 etapas.

João Matias.
Foto: GP O JOGO

AP Hotels & Resorts / Tavira / SC Farense

Equipa presente na prova: Delio Fernández, Álvaro Trueba, Samuel Blanco, Venceslau Fernandes, Rafael Lourenço, Diogo Barbosa e Miguel Salgueiro.

A formação de Tavira terá na Volta Delio Fernández como líder, sendo que a equipa estará muito virada para o seu apoio com Venceslau Fernandes a ser o seu braço direito quando a montanha chegar em peso à Grandíssima. Álvaro Trueba, Samuel Blanco e Diogo Barbosa (estreante na Volta) também estarão ao seu dispor nas etapas mais complicadas em termos orográficos. Para as etapas ao sprint as rédeas da equipa estarão a cargo de Miguel Salgueiro e Rafael Lourenço que estarão na luta por alguma etapa, sendo que no caso de Salgueiro ele também estará na luta pelo prólogo e, possivelmente, do contrarrelógio final.

A nossa escolha para figura em destaque: Delio Fernández, que terá uma das últimas derradeiras oportunidades de voltar a pisar o pódio final da Volta.

Delio Fernández.
Foto: João Fonseca Photographer / UDO – União Desportiva do Oeste

ABTF Betão – Feirense

Equipa presente na prova: António Carvalho, Ivo Pinheiro, Santiago Mesa, Afonso Eulálio, Fábio Oliveira, Francisco Pereira e Pedro Andrade.

A equipa ‘fogaceira’ parte para esta edição da Volta com o grande objetivo de tentar desfeitear o domínio da Glassdrive / Q8 / Anicolor durante a última edição da prova. Para isso, apresenta António Carvalho como grande arma para o ataque à geral, no entanto o ciclista da equipa feirense lesionou-se, num treino, na clavícula na antecâmara para a Volta e só fará o seu retorno à competição durante o prólogo da Volta. A secundar Carvalho estarão Afonso Eulálio (que tem protagonizado uma grande temporada em solo nacional e internacional, que poderá ser um dos nomes que estará na luta pela classificação da juventude); Ivo Pinheiro (época de afirmação, mostrando-se bem na montanha e nos contrarrelógios) e, ainda, Pedro Andrade. Já para os finais ao sprint apresentam-se à partida com um dos melhores sprinters do pelotão nacional, Santiago Mesa, que terá o apoio de Fábio Oliveira e Francisco Pereira (na sua estreia na Grandíssima) para levar de vencida uma etapa na prova rainha do pelotão nacional.

A nossa escolha para figura em destaque: Afonso Eulálio, que poderá lutar por alguma etapa no decurso desta edição e demonstrar, ainda mais, a sua qualidade a subir.

Afonso Eulálio.
Foto: João Fonseca Photographer / UDO – União Desportiva do Oeste

Aviludo – Louletano – Loulé Concelho

Equipa presente na prova: Jesús del Pino, Vicente García de Mateos, Tomas Contte, César Martingil, Daniel Viegas, Carlos Oyarzun e Nuno Meireles.

A formação algarvia parte para mais uma edição da Volta a Portugal com um bloco que poderá estar na disputa de algumas etapas. Jesús del Pino tentará repetir o top-10 que alcançou na pretérita edição e contará com a ajuda de Vicente García de Mateos e de Carlos Oyarzun, que serão 2 das apostas da equipa para o prólogo e contrarrelógio final, e, ainda, de Nuno Meireles e do estreante, na Volta, Daniel Viegas. Quanto às etapas que se preveem que possam acabar ao sprint serão Tomas Contte e César Martingil assumir a batuta da equipa, eles que certamente terão a chegada a Loulé bem marcada na sua lista para vitórias em etapa, visto que chegarão à cidade natal da equipa.

A nossa escolha para figura em destaque: Tomas Contte, o único ciclista a oferecer uma vitória à equipa de Loulé nesta temporada e tem argumentos muito válidos para levar de vencida a chegada a Loulé.

Tomas Contte.
João Fonseca Photographer / UVP – Federação Portuguesa de Ciclismo

Radio Popular – Paredes – Boavista

Equipa presente na prova: César Fonte, Luís Fernandes, Hugo Nunes, Guillermo García, Raul Rota, Tiago Leal e Pedro Lopes.

Os axadrezados partem com uma equipa bastante homogénea para a Volta a Portugal onde o objetivo será lutar em todas as frentes. Luís Fernandes e Hugo Nunes partirão como os homens mais talhados para a liderança, sendo que contarão com um grande apoio de Tiago Leal para as etapas mais complicadas e inclinadas da prova. O multifacetado César Fonte estará a apoiar os seus companheiros em tudo, tal como Pedro Lopes, sendo que Fonte terá a oportunidade de brilhar em algumas das etapas, visto que se encontra em boa forma. A Raul Rota caberá o papel de estar presente nas etapas que acabem em sprint massivo.

A nossa escolha para figura em destaque: César Fonte, que terá aqui uma grande oportunidade para adicionar uma vitória em etapa na Volta no seu vasto e prestigiante currículo.

César Fonte.
Foto: UVP – Federação Portuguesa de Ciclismo

Termina, assim, a nossa análise exaustiva da Volta a Portugal, no entanto ainda teremos mais conteúdo até à Volta sair para a estrada, acompanhem-nos até lá e também na nossa cobertura na estrada da prova rainha do calendário nacional!

Written by - - 821 Views

No Comment

Please Post Your Comments & Reviews

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *