Entrevistas

Vicente Garcia de Mateos: “Joaquim Andrade deixou claro que eu seria o líder da Antarte-Feirense”

A equipa da Antarte – Feirense apresentou, no passado dia 7, o seu plantel para época de 2021 e a notícia que vinha senho avançada por alguns meios de comunicação confirmava-se – Vicente Garcia de Mateos será o novo líder da equipa comandada por Joaquim Andrade. O espanhol, vencedor de seis etapas na Volta a Portugal, esteve à conversa com a Portuguese Cycling Magazine acerca do ano atípico de 2020 e o que espera da temporada de 2021 na equipa de Santa Maria da Feira. Recordamos que De Mateos foi também o convidado especial da sexta edição do PCMcast, que podes ouvir aqui.

Vicente começou por realçar que as negociações foram muito simples, já que Joaquim Andrade contactou o espanhol e desde a primeira hora lhe disse “que queria que eu fosse o seu chefe-de-fila” para o novo ano de 2021, o que deixou o homem natural de Manzanares confiante para aceitar o desafio na nova equipa.

Para trás ficam sete anos no sul do país, na equipa do Louletano, e De Mateos não esquece aquela que foi a sua casa em Portugal até ao momento. “O Tony do Adro e o Jorge Piedade fizeram-me sentir em casa e sentia-me muito confortável, por isso é que durante estes 7 anos nunca quis mudar de equipa, sentia-me realmente mesmo em casa”, agradeceu aos responsáveis da equipa algarvia. Uma mudança que se deu por motivações estritamente desportivas, realçando que “é algo natural no desporto, hoje estás num sítio e amanhã estás noutro; ao final de 7 anos mudar de equipa parece estranho, mas foi assim”.

Vicente Garcia de Mateos na companhia de Jorge Piedade e de Tony do Adro.
Foto: Sul Informação

Olhando para 2020, o ano do espanhol foi agridoce. O ponto alto foi a medalha de bronze no campeonato de Espanha de estrada, mas pagou a fatura numa Volta a Portugal que não foi tão bem conseguida. “Penso que trabalhei demasiado ao ponto de chegar ao campeonato nacional espanhol onde estava mesmo muito forte, mas não consegui chegar bem à Volta a Portugal que é sempre um objetivo”, lamentou-se o atleta castelhano. Na recta final do ano a pandemia também lhe trouxe complicações – em Espanha as regras para os desportistas não eram diferentes -, não podendo sair para treinar e, quando voltou, “não soube levar bem o treino, não sei o que se passou. Mas com os erros aprende-se e vamos tentar corrigir, espero que a pandemia não nos volte a fechar em casa”.

Vicente Garcia de Mateos a caminho do bronze nos campeonatos nacionais espanhóis.
Foto: RFEC/FCCLM

Apesar de 2021 ainda não ter o calendário completamente definido, o objetivo principal não muda. “Claro, a Volta a Portugal é o nosso maior objetivo e tentaremos fazer o melhor possível para, no mínimo, estar no pódio”, confirma De Mateos. As corridas internacionais serão também uma prioridade e abre a porta também à pista, onde já representou a seleção de Espanha em provas internacionais. O novo reforço da equipa da Feira espera “entrar em contacto com o novo selecionador para lhe mostrar-lhe o interesse na pista, sempre que o calendário com o Antarte – Feirense me permita conciliar”.

Olhando aos adversários para 2021, Vicente não tem dúvidas: “[a W52-FC Porto] continua a ser das equipas mais fortes, contam com corredores muito bons”, mas a saída de Gustavo Veloso pode jogar uma cartada importante, já que “a Atum General – Tavira com o Gustavo penso que poderá levar a mais ‘guerra’ e estar tudo mais equilibrado na Volta a Portugal.” Ainda para a Volta, De Mateos acredita que não vão faltar candidatos: “Vamos estar mais corredores em equipas um pouco inferiores a tentar lutar pelo mesmo objetivo.”

Ouve a entrevista completa em formato áudio:

https://files.fm/f/gs5983bc5

Written by - - 116 Views