Ciclocrosse, Internacional

Troféu X2O de Hamme: Vam Empel e Van Aert dão um passeio pelo parque

Troféu X2O de Hamme: Vam Empel e Van Aert dão um passeio pelo parque

Mesmo já com a época de estrada a arrancar a todo o vapor, ainda se respira ciclocrosse, precisamente quando estamos a uma semana do grande evento da temporada, os Campeonatos do Mundo de Hoogerheide. Hoje, correu-se mais uma jornada do Troféu X2O, a sexta, em Hamme. O Flandriencross é já uma prova bem implementada no calendário internacional, fazendo parte do Troféu X2O desde 2014, tendo já estado integrada durante 10 anos no calendário do Superprestige.

Pela frente os ciclocrossistas tiveram um percurso relativamente fácil, na sua totalidade plano (apenas algumas lombas pouco significativas), com algumas zonas mais técnicas, nomeadamente no meio da floresta, entre curvas de 180 graus e slaloms, e uma ligeira seção off-camber, mas sempre num piso acessível, ainda para mais quando a chuva deu tréguas nos últimos dias. Destaca-se apenas duas secções de lama, precisamente nas passagens pelo posto de material, com a ajuda da água libertada pela lavagem das bicicletas, que punha à prova a habilidade dos crossers.

Devido à realização da última prova da Taça do Mundo de Besançon no dia de amanhã, e considerando os cerca de 600 km que separam Hamme da cidade francesa, muitos ciclocrossistas optaram apenas por estar presentes numa das provas do fim de semana, como seria expectável. É o caso de Wout Van Aert (Jumbo-Visma) e de Lars Van der Haar (Baloise Trek Lions) nos homens, que escolherem ficar perto de casa e correr hoje em Hamme, enquanto Mathieu Van der Poel (Alpecin-Deceuninck) ou Laurens Sweeck (Crelan-Fristads) preferiram a prova da Taça do Mundo. Nas mulheres, e do lote das corredoras que dominam a modalidade, apenas Puck Pieterse (Alpecin-Deceuninck) não esteve hoje na Bélgica, mas estará amanhã em Besançon. Não nos esqueçamos que a classificação geral do Troféu X2O é contabilizada por tempo cumulativo, e não pelo tradicional sistema de pontos das corridas de ciclocrosse, e isso também pode explicar o motivo das ausências do dia de hoje. Na categoria Elite Masculino a classificação geral está a ser discutida apenas por Eli Iserbyt (Pauwels Sauzen-Bingoal) e Van der Haar (com vantagem para o belga por 1:36 minutos), enquanto na de Elite Feminino as contas estavam muito mais abertas, com a primeira classificada, Fem Van Empel (Jumbo-Visma), e a terceira, Ceylin Del Carmen Alvarado (Alpecin-Deceuninck), separadas por apenas 1:17 minutos.

Ainda assim, alguns aventureiros vão rumar a Besançon depois da corrida de Hamme, como é o caso de Iserbyt, Michael Vanthourenhout (Pauwels Sauzen-Bingoal), Denise Betsema (Pauwels Sauzen-Bingoal) ou Aniek Van Alphen (777).

Elite Feminino

A corrida feminina não teve muita história no que à luta pela vitória diz respeito. Logo na primeira volta, já quase a cruzar para a segunda, Van Empel, já depois de um ligeiro erro na passagem pela lama, aumentou o ritmo no grupo da dianteira, e abriu logo aí um pequeno espaço para Lucinda Brand (Baloise Trek Lions), Shirin Van Anrooij (Baloise Trek Lions), Alvarado e Betsema. Momentos depois, foi a vez de Van Anrooij largar a companhia do grupo e seguir em solitário em busca da frente da corrida, ao passo que Alvarado, devido a uma queda, perdeu o contacto com Brand e Betsema. Já dentro da quarta volta, e após reconectar-se com o terceiro grupo, Alvarado tentou a sua sorte e atacou, conseguindo uma vantagem de segundos para a então líder do Troféu X2O e Betsema. Entretanto, Van Empel seguia confortável na frente, e Van Anrooij pedalava em terra de ninguém na segunda posição, mesmo após um par de erros que a atiraram ao chão. A emoção da corrida estava entregue à dupla Alvarado/Brand, que lutavam entre si pelo terceiro lugar, e pelas contas da geral do Troféu. Ao cabo de 45:07 minutos, Van Empel cortava a linha de chegada, com 1:15 minutos de vantagem sobre Van Anrooij e 1:31 minutos sobre Alvarado, que conseguiu vencer a batalha travada com Brand.

Com esta exibição, Van Empel conseguiu também ascender à liderança do Troféu X2O (4:56:04 h), deixando agora a anterior líder, Brand, a 1:02 minutos, e Alvarado a 2:09 minutos.

Elite Masculino

A corrida dos homens foi quase uma fotocopia da feminina no que toca à discussão da vitória. Após a primeira volta já o pelotão se tinha partido completamente, com um grupo dianteiro que incluía Van Aert, Iserbyt, Vanthourenhout, Dan Soete (Deschacht-Hens-Maes), Thibau Nys (Baloise Trek Lions) e Pim Ronhaar (Baloise Trek Lions) a deixar Van der Haar a alguns segundos de distância. A segunda volta viu o campeão neerlandês juntar-se momentaneamente à frente da corrida, mas com o ataque de Van Aert na zona lamacenta, o grupo voltou a desintegrar-se. Com o belga seguiram Vanthourenhout, Ronhaar e, a custo, Iserbyt; atrás, Van der Haar confirmava o mau dia que estava a ter, e caía numa zona mais técnica, atrasando-se ainda mais. Na frente, Van Aert continuava a insistir, e quebrava finalmente o elástico para os seus adversários, iniciando assim uma tranquila corrida a solo.

A situação da corrida mateve-se inalterada por largos minutos, com um trio composto por Vanthourenhout, Iserbyt e Ronhaar a pedalar com a luta pelo pódio em mente, e Van der Haar a tentar aproximar-se deste grupo. As duas últimas voltas ainda permitiram fogachos de entusiasmo para os adeptos, com a luta pela geral do Troféu X2O a entrar novamente em cena, uma vez que a junção de Van der Haar ao grupo de Iserbyt parecia iminente. E foi aqui que as táticas de equipa entraram em ação: Ronhaar, após pedido do seu diretor, Sven Nys, começou a correr em função de Van der Haar, mas levaram resposta imediata da Pauwels Sauzen-Bingoal, pois Vanthourenhout, abdicando da sua posição, baixou o ritmo, permitindo a Iserbyt abrir um espaço. Já com um foço confortável, Vanthourenhout deu a estocada final em Rohnaar, que vacilava perante o cansaço, deixando-o para trás na última volta. Quase nos esquecemos da masterclass de Van Aert, que ao fim de 1:00:58 h concluía o seu passeio por Hamme. Iserbyt terminaria na segunda posição, a 47 segundos, e Vanthourenhout logo atrás do seu colega de equipa, a 52 segundos. Van der Haar foi o quinto a cruzar a meta, gastando mais 1:31 minutos que Van Aert.

Assim, Iserbyt reforçou a sua liderança na geral do Troféu X2O, agora com 2:35 minutos de vantagem para Van der Haar, o segundo classificado, e 9:14 minutos para Vanthourenhout

Written by - - 390 Views

No Comment

Please Post Your Comments & Reviews

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *