Entrevistas, Estrada, Nacional

Rescaldo da temporada em Portugal: a opinião dos diretores desportivos

Rescaldo da temporada em Portugal: a opinião dos diretores desportivos

E chegou ao fim mais uma época de ciclismo nas estradas portuguesas. Uma temporada que arrancou em fevereiro, em Ovar, na Prova de Abertura-Região de Aveiro-Taça Jogos Santa Casa, e findou com duas provas já no presente mês de setembro, o Grande Prémio Jornal de Notícias e o Circuito da Pera Rocha, no Bombarral (que este ano foi corrido em memória de José Eduardo Santos, ou “Pepinho” no mundo do ciclismo).

Numa época marcada, invariavelmente, pela operação Prova Limpa, importa relevar sobretudo a vertente desportiva. E quanto a essa, a grande dominadora do calendário nacional foi a Glassdrive/Q8/Anicolor. A equipa de Águeda conseguiu, ao longo deste ano, 30 vitórias (incluindo seis vitórias à geral em provas por etapas e sete vitórias em provas de um dia) e dez conquistas de classificações secundárias.

A equipa que lhe seguiu foi a Tavfer-Mortágua-Ovos Matinados, com sete triunfos, onde se incluem as duas vitórias em etapas na Volta a Portugal, e cinco classificações secundárias ao longo do ano. A terceira equipa mais ganhadora foi a Efapel Cycling, que, no ano de estreia nas estradas portuguesas, arrecadou seis vitórias e uma classificação secundária. A Rádio Popular-Paredes-Boavista fecha a temporada com quatro triunfos e quatro classificações secundárias; a Aviludo-Louletano-Loulé Concelho conseguiu também quatro vitórias, todas elas conseguidas no GP Jornal de Notícias; e a Kelly-Simoldes-UDO foi a outra equipa que provou o doce sabor da vitória, com duas conquistas, e uma delas logo no maior palco do calendário nacional, a Volta a Portugal, e levou também para casa por uma vez uma classificação secundária. As restantes equipas não conseguiram nenhuma vitória ao longo do ano no calendário de elites, embora possamos destacar as três e duas classificações secundárias ganhas pela ABTF Betão-Feirense e pela L.A. Alumínios/Credibom/Marcos Car, respetivamente.

Olhamos apenas aos resultados, nomeadamente às vitórias. Mas os resultados nem sempre mostram tudo. Por isso, a Portuguese Cycling Magazine foi falar com quem melhor sabe, os diretores desportivos. Assim, na última etapa do GP Jornal de Notícias, convidamos os timoneiros das equipas continentais portuguesas a fazerem um balanço sobre a época que agora finda. Todos os altos e baixos, as dificuldades, os desafios, objetivos para o futuro e ainda críticas à forma como está a ser gerido o ciclismo de formação em Portugal, podes ler tudo nos próximos separadores.

Nota: Infelizmente, não foi possível obter declarações de nenhum responsável da Kelly-Simoldes-UDO.

2 – Glassdrive/Q8/Anicolor – Rúben Pereira

3 – Tavfer-Mortágua-Ovos Matinados – Gustavo Veloso

4 – Efapel Cycling – José Azevedo

5 – Rádio Popular-Paredes-Boavista – José Santos

6 – Aviludo-Louletano-Loulé Concelho – Jorge Piedade

7 – Kelly-Simoldes-UDO

8 – ABTF Betão-Feirense – Joaquim Andrade

9 – L.A. Alumínios/Credibom/Marcos Car – Hernâni Brôco

10 – Atum General/Tavira/AP Maria Nova Hotel – Vidal Fitas

Written by - - 1108 Views

Páginas: 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10

No Comment

Please Post Your Comments & Reviews

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *