Estrada, Nacional

Prova de Abertura – Região de Aveiro: O pelotão nacional dá as primeiras pedaladas de 2024!

Prova de Abertura – Região de Aveiro: O pelotão nacional dá as primeiras pedaladas de 2024!

Arranca, amanhã, a tradicional Prova de Abertura – Região de Aveiro que dará início à temporada velocipédica nacional de 2024. A prova terá 166,6 quilómetros, com partida em Oliveira do Bairro e chegada em Sever do Vouga, sendo que a grande novidade está reservada para o final da prova, onde os ciclistas irão enfrentar uma subida de 3,7 quilómetros.

A temporada de 2024 traz algumas novidades no pelotão nacional, sendo que as 9 equipas Continentais UCI (ABTF Betão – Feirense, AP Hotels & Resorts / Tavira / SC Farense, Aviludo – Louletano – Loulé Concelho, Credibom / L.A. Alumínios / Marcos Car, Efapel Cycling, Kelly / Simoldes / UDO, Radio Popular – Paredes – Boavista, Sabgal / Anicolor e Tavfer – Ovos Matinados – Mortágua) se mantêm na estrada, porém as equipas de Clube/Sub-23 sofreram um decréscimo de 2 equipas, sendo que somente estarão 6 estruturas na estrada, pelo menos neste início de temporada: CCL / Matdiver / Anastácio Mendes & Mendes, Lda., Maia / Earth Consulters, Óbidos Cycling Team, Porminho Team-Sub23, PORTOS WINDMOB e Santa Maria da Feira / Segmento d’Época / Reol / Bolflex. Para saberes todas as movimentações de mercado podes ler este artigo.

À hora de escrita do artigo estão pré-inscritos 149 ciclistas, distribuídos pelas 15 equipas nacionais: as 9 estruturas Continentais UCI portuguesas e as 6 equipas de Clube/Sub-23 e, ainda, por 2 estruturas amadoras espanholas, que habitualmente correm no calendário nacional: Club Ciclista Padronés Cortizo e High Level – Gsport.

Tudo o que precisas de saber sobre o percurso!

A edição deste ano da prova irá contar com um percurso maioritariamente plano, sendo que o final em subida poderá provocar surpresas e, possivelmente, afastar os melhores sprinters do pelotão nacional da discussão da prova.

Perfil da Prova de Abertura – Região de Aveiro.
Fonte: UVP – Federação Portuguesa de Ciclismo

A prova irá passar perto da costa, no entanto não é esperado muito vento no dia da corrida, e não deverá ser um fator a ter muito em conta. O prato principal do dia será mesmo a aproximação à chegada a Sever do Vouga, que será feita em subida – 3,7 quilómetros a 5,9% de pendente média – e que servirá para deixar a discussão da corrida indefinida até ao final. É crível que o pelotão não se fracione totalmente na chegada, no entanto há a possibilidade de algum ciclista chegar isolado à meta ou estar, somente, um pequeno grupo na discussão do certame.

Segmento do Strava da subida de Sever do Vouga.
Fonte: Strava

Irão existir 3 Metas Particulares no decurso da corrida: Restaurante Vidal (ao quilómetro 19,4), Freguesia de Avanca (ao quilómetro 120,8) e Junta de Freguesia de Salreu (ao quilómetro 131), sendo que a chegada a Sever do Vouga contará como Prémio da Montanha.

Os nomes a ter em conta para a vitória e potenciais surpresas!

A chegada em subida poderá abrir bastante o leque de favoritos à vitória, já que a prova poderá ter um sprinter ou um puro trepador, como grandes vencedores. Nomes como: Afonso Eulálio, Pedro Silva, Fábio Costa e António Carvalho (ABTF Betão – Feirense); Miguel Salgueiro e Francisco Campos (AP Hotels & Resorts / Tavira / SC Farense); Tomas Contte e Nicolás Tivani (Aviludo – Louletano – Loulé Concelho); Joan Martí Bennassar (CCL / Matdiver / Anastácio Mendes & Mendes, Lda.); Rodrigo Caixas e Gonçalo Leaça (Credibom / L.A. Alumínios / Marcos Car); Tiago Antunes e Santiago Mesa (Efapel Cycling); Luís Gomes (Kelly / Simoldes / UDO); Theodor Obholzer (Óbidos Cycling Team); Sergio Ginés (PORTOS WINDMOB); Hugo Nunes, César Fonte, Francisco Peñuela e Raul Rota (Radio Popular – Paredes – Boavista); André Carvalho, Artem Nych, Frederico Figueiredo, Oliver Rees – que foi recentemente entrevistado pela PCM, podem ler aqui a entrevista – e José Sousa (Sabgal / Anicolor) e, ainda, João Matias, Gonçalo Amado, César Martingil e António Barbio (Tavfer – Ovos Matinados – Mortágua) poderão ser alguns dos candidatos ao triunfo, visto que a prova será bastante imprevisível e pode ser benéfica para vários tipos de perfil de ciclista.

Conseguirá Santiago Mesa revalidar a sua vitória na Prova de Abertura – Região de Aveiro ou será que o vencedor terá outro perfil de ciclista?
Foto: João Fonseca Photographer / UVP – Federação Portuguesa de Ciclismo

Relativamente aos Sub-23 em prova, os nomes em maior evidência poderão ser: Alexandre Montez – também ele entrevistado recentemente pela PCM, podem ler aqui a entrevista – (Credibom / L.A. Alumínios / Marcos Car); Viacheslav Ivanov (Efapel Cycling); João Paulo Silva, Diogo Pinto e Diogo e Sérgio Saleiro (Óbidos Cycling Team); Pedro Crispim (Porminho Team Sub-23); João Martins e Tiago Nunes (Radio Popular – Paredes – Boavista) e Duarte Domingues (Sabgal / Anicolor).

Por fim, as estruturas espanholas trazem um punhado de ciclistas bastante interessante. O Club Ciclista Padronés Cortizo traz um sprinter que poderá aguentar a subida, Jorge González Segurado, e, ainda, ciclistas com um perfil interessante para fazer um resultado de destaque, como, por exemplo, Ramón Fernandez, Martín Rey, Hugo de la Calle e Alejandro Paz, ciclistas que passam bem a dificuldade final. Já a High Level – Gsport, contará com Sergio Lorenzo como o ciclista mais bem cotado e que poderá surpreender neste percurso.

Os dados estão lançados para mais uma temporada de alto nível em solo nacional. A Portuguese Cycling Magazine estará, no terreno, a acompanhar a partida e chegada da prova e a viver as emoções do início da temporada. Estejam atentos ao nosso Instagram, no dia de amanhã, para um dia recheado de conteúdo!

Foto de Capa: João Fonseca Photographer / UVP – Federação Portuguesa de Ciclismo

Written by - - 349 Views

No Comment

Please Post Your Comments & Reviews

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *