Estrada, Nacional

Prova de Abertura: o pelotão nacional está de volta à estrada!

Prova de Abertura: o pelotão nacional está de volta à estrada!

É já amanhã que, no nosso país, a temporada de ciclismo de estrada tem o tiro de partida com a tradicional Prova de Abertura, na Região de Aveiro. A época estará compreendida entre fevereiro e outubro e terá sensivelmente o mesmo número de dias de competição que a temporada transata. A Portuguese Cycling Magazine falou com alguns dos intervenientes que estarão presentes na primeira prova do ano para saber os objetivos e como pensam que a prova se irá desenrolar. Podem ler as declarações exclusivas de Miguel Salgueiro, Fábio Costa e Rodrigo Caixas nas seguintes páginas do nosso artigo!

Se no ano passado a Prova de Abertura esteve desdobrada em duas provas, uma para as equipas continentais e outra para as equipas de clube e sub23, este ano voltamos a ter uma prova partilhada. À hora da escrita do artigo estavam inscritos 169 ciclistas de 18 equipas (as 10 equipas Continentais UCI portuguesas, 6 equipas de clube/sub23 e 2 equipas espanholas), estando presentes os nomes de alguns dos grandes animadores do pelotão nacional no ano de 2021, como Mauricio Moreira, José Neves, Jóni Brandão ou Luís Gomes.

A prova deste ano tem um figurino semelhante ao de anos anteriores, ligando Cortegaça a Águeda, numa extensão de 172,1 quilómetros. A grande diferença está na localização da contagem de montanha de Talhadas que, este ano, se encontra mais longe da meta estando ainda numa fase inicial da corrida a sensivelmente 100 quilómetros da meta. Esta mudança abre grandes perspetivas aos homens mais rápidos do nosso pelotão, visto que o percurso depois de Talhadas não apresenta nenhuma dificuldade de vulto. A maior dificuldade do dia poderá ser mesmo a chuva, que está prevista aparecer durante o dia de amanhã.

O percurso da prova de amanhã.
Fonte: Federação Portuguesa de Ciclismo

Nomes como César Martingil, Leangel Linarez, César Fonte, Francisco Campos ou ainda Luís Mendonça serão alguns dos nomes que estarão na discussão da prova se esta terminar ao sprint, no entanto tanto Campos como Mendonça ainda se encontram a recuperar da recente infeção da Covid-19 e poderão não estar ainda no nível pretendido. Das equipas espanholas não se pode descartar o nome de Francisco García Rus (Aluminios Cortizo) para a disputa, ele que correu na equipa do Louletano em 2019 e 6º na Prova de Abertura desse ano, sendo um ciclista que passa as dificuldades presentes na prova e que tem uma boa ponta final. Caso a prova não termine em pelotão compacto, nomes como Luís Gomes, José Neves ou Mauricio Moreira terão uma palavra a dizer.

A Portuguese Cycling Magazine estará, no terreno, a acompanhar a partida da prova e a viver as emoções do início da temporada. Estejam atentos ao nosso Instagram nesse dia!

Por fim, convidamos-te a navegar pelas próximas páginas para saberes o que Miguel Salgueiro, Fábio Costa e Rodrigo Caixas nos disseram!

Written by - - 686 Views

Páginas: 1 2 3 4