Estrada, Nacional

Prova de Abertura: As primeiras pedaladas do pelotão nacional estão aí à porta!

Prova de Abertura: As primeiras pedaladas do pelotão nacional estão aí à porta!
O cartaz da Prova de Abertura – Região de Aveiro – Taça Jogos Santa Casa.
Fonte: UVP – Federação Portuguesa de Ciclismo

É já amanhã que o pelotão nacional embarca na época de 2023, com a tradicional Prova de Abertura – Região de Aveiro – Taça Jogos Santa Casa e a temporada de 2023 trouxe algumas mudanças tanto em termos de equipas como em termos de provas.  No campo das equipas este ano teremos somente 9 equipas Continentais UCI, sendo as mesmas estruturas da temporada transata, menos a W52 – F.C. Porto que abandonou o escalão e se reconverteu em equipa de clube/sub-23, tendo como nova denominação Fonte Nova – Felgueiras, já no campo das equipas de clube/sub-23 é de se realçar a estreia da Óbidos Cycling Team e a ausência da equipa Almodôvar / Delta Cafés / Crédito Agrícola, pelo menos na primeira prova da temporada. A nível de provas o calendário nacional teve um incremento no número de dias de competição e ainda ganhou duas novas provas internacionais: a Figueira Champions Classic (prova UCI da classe .1), que será corrida no próximo domingo, e o regresso do GP Beiras e Serra da Estrela (prova UCI da classe .2), depois de um hiato de 3 anos. Outras das novidades para esta temporada são: a Clássica de Santo Thyrso, o GP da Beira Baixa e a Volta aos 7.

Prova de Abertura: tudo o que precisas de saber sobre a prova!

A primeira prova da temporada, em Portugal, tem, à hora da escrita do artigo pré-inscritos 156 ciclistas distribuídos por 18 equipas. Estarão presentes as 9 equipas Continentais UCI portuguesas (ABTF Betão – Feirense, AP Hotels & Resorts / Tavira / SC Farense, Aviludo – Louletano – Loulé Concelho, Credibom / L.A. Alumínios / Marcos Car, Efapel Cycling, Glassdrive / Q8 / Glassdrive, Kelly / Simoldes / UDO, Radio Popular / Paredes / Boavista e Tavfer – Ovos Matinados – Mortágua), 7 equipas de clube/sub-23 (ACDC Trofa, Fonte Nova – Felgueiras, JVperfis Windmob, Maia, Óbidos Cycling Team, Porminho Team Sub23 e Santa Maria da Feira / Segmento d’Época / Reol) e ainda 2 formações amadoras espanholas (Club Ciclista Padronés Cortizo e Vigo – Rías Baixas), sendo que há a particularidade das equipas inscritas na prova poderem ter 10 ciclistas em competição.

O percurso da prova tem, sensivelmente, o mesmo figurino da corrida do ano transato, sendo que terá uma ligação de 165,7 quilómetros entre Estarreja e Ílhavo, e que deverá ser propícia a uma chegada ao sprint.

Percurso da prova.
Fonte: UVP – Federação Portuguesa de Ciclismo

A única dificuldade montanhosa de grande vulto do dia, Talhadas (2ª Categoria), aparece ainda na primeira metade da etapa e será o único ponto em que o pelotão poderá ter uma oportunidade de se dividir e fragmentar em vários grupos.

O perfil da contagem de montanha de Talhadas (7,2 quilómetros a uma pendente média de 5,7%), no Strava.

Os favoritos

Visto que se perspetiva uma chegada ao sprint os nomes que poderão brilhar serão os homens mais rápidos do pelotão nacional. O vencedor da última edição, Leangel Linarez (Tavfer – Ovos Matinados – Mortágua), estará presente e será o alvo a abater, no entanto também terá a concorrência do seu companheiro de equipa João Matias, que protagonizou uma excelente reta final de temporada em 2022, com 2 vitórias na Volta a Portugal. Outros dos nomes que lutarão pela vitória poderão ser: Santiago Mesa (ABTF Betão – Feirense), nova aquisição do conjunto ‘fogaceiro’ e com credenciais de bom sprinter no pelotão amador espanhol; Miguel Salgueiro (AP Hotels & Resorts / Tavira / SC Farense); César Martingil e Tomás Contte (Aviludo – Louletano – Loulé Concelho); Rafael Silva (Efapel Cycling); Luís Mendonça, Fábio Costa e Pedro Silva (Glassdrive / Q8 / Anicolor), César Fonte e Raúl Rota, nova aquisição dos ‘boavisteiros’ e também ele um homem rápido (Radio Popular / Paredes / Boavista) e, ainda, o regressado Francisco Campos, que terá o apoio de Diogo e Sérgio Saleiro (Fonte Nova – Felgueiras). Caso a dinâmica de corrida não seja um sprint massivo poderemos ter algumas surpresas e nomes como: Aleksandr Grigorev (Efapel Cycling), Mauricio Moreira (Glassdrive / Q8 / Anicolor), Luís Gomes (Kelly / Simoldes / UDO), Hugo Nunes (Radio Popular / Paredes / Boavista) e Gonçalo Amado (Tavfer – Ovos Matinados – Mortágua) podem mostrar as suas credenciais já na primeira prova do ano, que tem a particularidade de, também, dar início à Taça de Portugal Jogos Santa Casa.

Quem irá suceder a Leangel Linarez como o novo vencedor da Prova de Abertura?
Foto: Arquivo da equipa Tavfer – Ovos Matinados – Mortágua.

Do lado das estruturas espanholas iremos ter a estreia da grande contratação do Vigo – Rías Baixas, Keegan Swirbul, ele que correu até 2022 na Human Powered Health, equipa Continental Profissional UCI e que conta com 3 presenças na Volta a Portugal no seu currículo. A equipa de Vigo conta com o português Miguel Marques nas suas fileiras e a principal aposta para a prova passará por Miquel Valls. Por parte do Club Ciclista Padronés Cortizo a principal unidade deverá ser o irlandês Aaron Wade, o mais recente reforço da equipa, que conta com boas prestações ao sprint no calendário amador francês.

Os dados estão lançados para mais uma temporada de alto nível em solo nacional. A Portuguese Cycling Magazine estará, no terreno, a acompanhar a partida e chegada da prova e a viver as emoções do início da temporada. Estejam atentos ao nosso Instagram e Twitter no dia de amanhã para um dia recheado de conteúdo!

Foto de capa: UVP – Federação Portuguesa de Ciclismo

Written by - - 405 Views

No Comment

Please Post Your Comments & Reviews

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *