Estrada, Internacional, Opinião

Os 5 monumentos do ciclismo: uma regra não escrita

Os 5 monumentos do ciclismo: uma regra não escrita

A Milano – Sanremo, a Volta à Flandres, o Paris – Roubaix, a Liège – Bastogne – Liège e a Volta à Lombardia compõem aquilo que, no mundo velocipédico, se designa como os “5 Monumentos do Ciclismo”. No entanto, a UCI (Union Cycliste Internationale), nos seus regulamentos, não faz referência, em lado algum, a esta denominação “formal”.

Por esta razão, porquê que os amantes do ciclismo se referem a tais corridas como “monumentos”?

Existe um conjunto de critérios que poderão ser fundamentais para que estas 5 provas se enquadrem nessa designação: a história, a geografia e a quilometragem. Além destes (critérios) deve-se fazer menção aos participantes/ vencedores das respetivas competições, assim como questionar o porquê de corridas como a Gent – Wevelgem, a Strade Bianche e a Donostia Klasikoa de San Sebastián não serem consideradas “monumentais”.

Página 2: História (antiguidade)

Página 3: Geografia (localização)

Página 4: Quilometragem

Página 5: Participantes

Página 6: Os casos da Gent – Wevelgem, Strade Bianche e da Clássica de San Sebastián

Written by - - 1220 Views

Páginas: 1 2 3 4 5 6

No Comment

Please Post Your Comments & Reviews

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *