Entrevistas, Estrada, Internacional

Lennert Van Eetvelt, ciclista da Lotto Dstny: “Isto não foi um caso de doping, mas sim de anti-doping”

Lennert Van Eetvelt, ciclista da Lotto Dstny: “Isto não foi um caso de doping, mas sim de anti-doping”

Lennert Van Eetvelt é um ciclista belga que atualmente corre pela equipa Lotto Dstny. Apesar de ter apenas 21 anos, é uma estrela em ascensão, já com grandes resultados como neo-profissional. Fez a sua formação na equipa de desenvolvimento Lotto – Soudal U23 (atualmente Lotto Dstny U23) até à época de 2022, sendo depois promovido à equipa profissional, onde corre atualmente.

No final de abril, Van Eetvelt viu-se envolvido numa situação de irregularidade com a WADA (Agência Mundial Anti-dopagem), relativamente a um caso de doping, ou mais precisamente, como nos disse o próprio, de “um caso de anti-doping”.

O mesmo doping tem promovido contínuos escândalo também em Portugal, com algumas vozes a manifestarem a crença de que o doping está enraizado na cultura do ciclismo português. No entanto, estaremos a julgar essa cultura com demasiada severidade? 

Dada a complexidade e delicadeza destes cenários, conversámos com Lennert Van Eetvelt para perceber o que é ser implicado num caso de anti-doping, porque por detrás de cada caso, existe sempre um ser humano.

Lotto Soudal U23

Durante a sua passagem pela Lotto Soudal U23, de 2020 a 2022, Lennert Van Eetvelt começou a chamar a atenção dos olheiros internacionais. O seu desempenho enquanto jovem e trajetória ascendente ao longo da carreira destaca o trabalho excecional das equipas de desenvolvimento na Bélgica.

Em 2022, na última época nas categorias jovens, Van Eetvelt conseguiu resultados relevantes que o impulsionaram para o World Tour. Nesse ano, conseguiu vários pódios, incluindo um 2º lugar na Liège-Bastogne-Liège U23 e na Flèche Ardennaise, uma etapa no Giro d’Italia Giovanni U23, outro 2º lugar na classificação geral da Volta à Alsácia e a geral da Course de la Paix Grand Prix Jeseníky.

Como é que começaste a praticar ciclismo?

Lennert Van Eetvelt: “Comecei muito cedo, por volta dos oito anos. Costumava ir para a escola de bicicleta todos os dias com os meus amigos. Um deles queria começar a andar de bicicleta, por isso também me juntei a ele. Depois, nas férias, ia muitas vezes para as montanhas com o meu pai e foi aí que tudo começou. “

Fonte: Arquivo pessoal do atleta.

Quais são as tuas melhores recordações ao serviço da Lotto – Soudal U23?

Lennert Van Eetvelt: “2022 foi definitivamente um bom ano, com o Baby Giro e as corridas das Ardenas. Tive um desempenho muito bom, mostrei que estava pronto para isso e deram-me a oportunidade [com a equipa profissional] este ano. Estou muito feliz por poder atuar a este nível este ano”.

Lotto Dstny

Na presente época, Lennart Van Eetvelt tem impressionado, dada a sua tenra idade, ao competir lado a lado com os melhores ciclistas do mundo. No início da época, garantiu pódios no Trofeo Andratx (3º lugar) e no Trofeo Serra Tramuntana (2º lugar). Tanto no Tour des Alpes Maritimes et du Var como na Volta a Catalunya ficou bem posicionado na classificação da juventude.

Este ano já provaste que consegues estar a um bom nível. Estavas à espera que estes resultados surgissem tão rapidamente, na tua primeira época como profissional?

Lennert Van Eetvelt: “Sim, é a minha primeira época como profissional, por isso estava muito ansioso. É mais uma época de aprendizagem, apenas estou a tentar descobrir como as coisas funiconam e a divertir-me enquanto corro. Sim, estou a ir bem!”

Na Mercan’Tour Classic Alpes-Maritimes, terminaste no 3º lugar. Como foi partilhar o pódio com um ciclista do calibre de Richard Carapaz? 

Lennert Van Eetvelt: “Há anos, via-os na televisão e sonhava em correr com eles, e agora estou a subir uma montanha com eles, por isso é uma sensação especial, porque estou realmente a correr ao lado eles.”

Quais são os teus objectivos para o resto da época?

Lennert Van Eetvelt: “Para mim, o grande objetivo é a Vuelta. Sempre ansiei por ela, por ganhar uma etapa numa grande volta. Adorava isso quando era miúdo [as grandes voltas] e é a minha coisa favorita no ciclismo, quero fazer parte disso também.”

Que papel desempenha a tua equipa, a Lotto-Dstny, na concretização dos teus objectivos?

Lennert Van Eetvelt: “Estou extremamente feliz com a equipa, eles acreditam em mim, tenho liberdade e estou muito grato por essas oportunidades também. Em quase todas as corridas em que participei este ano, fui o líder ou tive um papel livre, por isso só posso agradecer-lhes!”

Fonte: Arquivo pessoal do atleta

A situação que levou ao controlo positivo

A 21 de abril de 2023, a Lotto Dstny comunicou que foi informada pela WADA de uma “alegada violação da lei anti-doping” durante o Tour des Alpes Maritimes et du Var, por Lennert Van Eetvelt.

O ciclista belga foi assim colocado em “situação de não ativo” durante a investigação. A equipa sublinhou que esta ação foi tomada em conformidade com as orientações do MPCC (Mouvement pour un Cyclisme Crédible), mas reiterou o seu apoio ao atleta, esperando um desfecho positivo desta situação.

A substância mencionada pelo dossier da WADA encontrava-se num spray nasal que Van Eetvelt utilizou por várias ocasiões. Está disponível no mercado e a sua utilização em competição é permitida, desde que seja divulgada durante os controlos e que a sua utilização esteja em conformidade com o folheto informativo.

Podes explicar-nos como surgiu a situação com a WADA, relativamente ao controlo anti-doping?

Lennert Van Eetvelt: “Foi uma situação difícil. Recebi um e-mail das autoridades antidopagem francesas em que pediam mais explicações, porque foi encontrada uma substância no meu sangue. Era bastante claro que o spray nasal era a causa, mas eles queriam alguns esclarecimentos. Disseram-me que não havia qualquer problema e que estavam apenas a fazer perguntas. Mencionei, durante o controlo, que estava a tomar o spray nasal, como já tinha feito antes na minha carreira, sob supervisão médica.  Fiquei muito contente quando me disseram mais tarde que não havia qualquer problema, que estava tudo bem! Mas ter de passar por algo assim no meu primeiro ano [como profissional] é complexo, mas tive muito apoio da equipa e dos meus familiares e amigos, o que é muito bom.”

Qual foi a importância do apoio que tiveste nesta situação?

Lennert Van Eetvelt: “Tive o apoio de toda a gente. Mentalmente, isto pode ser muito stressante e, durante o período em que estive fora das corridas, isso deu-me mais ânimo. Depois, só queria esforçar-me ainda mais e isso deu-me mais motivação para o resto da época.”

Como é que os casos de doping são vistos e geridos na Bélgica?

Lennert Van Eetvelt: “Não me lembro de casos nos últimos anos. É uma situação difícil, porque temos de ser muito transparentes, mas também porque tudo é facilmente mal interpretado; é muito difícil saber o que se passa e quando é que um problema é real. No meu caso, a situação tornou-se pública, porque a minha equipa teve de me colocar como não ativo, devido à sua adesão ao MPCC. Felizmente, o caso foi resolvido muito rapidamente e pude voltar a correr passado um mês”.

Como é que conseguiste gerir este caso tão sensível?

Lennert Van Eetvelt: “As pessoas assumem muito facilmente o pior em relação a tudo. Penso que se formos honestos em relação a tudo, no final acaba por correr tudo bem. Mesmo assim, muitas pessoas acreditaram. Fiquei contente por as pessoas ainda estarem do meu lado nesta história. E, na verdade, não tive muitas reacções negativas ao meu caso. Tratava-se de fazer perguntas, era mais uma questão de anti-doping. Mesmo que algo seja encontrado nos controlos, não significa que seja um problema. Foi uma situação difícil e estou muito contente por ter terminado!”

Fonte: PhotoNews

O desporto vai muito além de provas e competições. Todos os dias os atletas são desafiados, tanto a nível físico como mental, e no início da sua carreia, Lennert Van Eetvelt já passou por um dos maiores e mais complexos desafios daquele que será o seu percurso. Com base na sua experiência recente, o atleta belga oferece-nos dois conselhos muito importantes: Por um lado, deixar a situação se desenrolar de forma natural, sem julgamentos; Por outro lado, ser transparente na forma de lidar com ela.

Seguindo estes conselhos, podemos todos contribuir para um ciclismo mais limpo!

Page 2- English version of the interview | Lotto Dstny cyclist Lennert Van Eetvelt: “This was not a doping case, but an anti-doping case”

Written by - - 567 Views

Páginas: 1 2

No Comment

Please Post Your Comments & Reviews

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *