Estrada, Internacional, Nacional

Figueira Champions Classic: Uma subida de escalão para o primeiro embate entre o pelotão nacional e as equipas internacionais!

Figueira Champions Classic: Uma subida de escalão para o primeiro embate entre o pelotão nacional e as equipas internacionais!

Após uma bem-sucedida primeira edição, a Figueira Champions Classic está de volta com uma grande novidade: a subida ao escalão ProSeries (o segundo na pirâmide UCI, só abaixo do WorldTour). A sua localização no calendário (4 dias antes da Volta ao Algarve) permite haver, ainda, mais novidades do que na transata edição em termos de números de equipas, visto que a quantidade de equipas WorldTeams aumentou e teremos um nome como Remco Evenepoel presente em prova. Outra das novidades é o facto de o percurso ter ganho mais 32,1 quilómetros de extensão e mais uma passagem pelo Parque Florestal e pelo Enforca Cães, algo que irá conferir uma maior dureza à prova.

A primeira prova internacional da temporada, em Portugal, tem, à hora da escrita do artigo pré-inscritos 159 ciclistas distribuídos por 23 equipas (ver abaixo a lista de pré-inscritos). Estarão presentes 10 equipas UCI WorldTeams (Alpecin–Deceuninck, Arkea-B&B Hotels, Astana Qazaqstan Team, EF Education – EasyPost, Intermarché – Wanty, Lidl–Trek, Movistar Team, Soudal Quick–Step, Team dsm–firmenich PostNL e UAE Team Emirates), 4 equipas UCI ProTeams (Caja Rural–Seguros RGA, Equipo Kern Pharma, Euskaltel–Euskadi e Tudor Pro Cycling Team) e as 9 equipas UCI Continental portuguesas (ABTF Betão – Feirense, AP Hotels & Resorts / Tavira / SC Farense, Aviludo – Louletano – Loulé Concelho, Credibom / L.A. Alumínios / Marcos Car, Efapel Cycling, Kelly / Simoldes / UDO, Radio Popular – Paredes – Boavista, Sabgal / Anicolor e Tavfer – Ovos Matinados – Mortágua).

João Almeida e Rui Costa, que estavam pré-inscritos e eram dois dos grandes nomes na lista de partida, são baixas de última hora e falharão a prova.

Tudo o que precisas de saber sobre o percurso!

A verdade é que o percurso consegue apresentar mais dureza que no ano transato contando com 222,1 quilómetros de extensão. A começar logo pelos primeiros 102,5 quilómetros de prova, antes da entrada para o circuito final, que serão tudo menos um passeio. Este ano a prova irá contar com um percurso bem quebrado nesta fase inicial que irá dificultar a vida a todos os blocos presentes na corrida, sendo que o grande destaque desses quilómetros iniciais será a subida de Brenha (3,2 quilómetros a 5,4%).

O perfil do percurso e a subida de Brenha.
Fonte: Figueira Champions Classic

Os ciclistas irão entrar para o circuito final a cerca de 120 quilómetros para o final, onde passarão 4 vezes pelo Parque Florestal e, subsequentemente, 4 vezes pelo Enforca Cães. Cada volta do circuito terá aproximadamente 30 quilómetros, sendo que desde a entrada do circuito até ao início da subida do Parque Florestal distam cerca de 7 quilómetros. A subida do Parque Florestal conta com 2,1 quilómetros a uma pendente média de 8%, feitos maioritariamente em estradas estreitas. Após a transposição da subida categorizada irão existir à volta de 4 quilómetros em planalto, onde o vento irá dizer presente e a soprar entre os 40/50km/h, seguindo-se uma descida algo técnica de aproximadamente 6 quilómetros. A seguir a essa descida os ciclistas irão enfrentar o famoso Enforca Cães, uma subida com 900 metros de extensão a uma pendente média de 7,3%, onde o vento também marcará presença e será um fator chave. Depois da passagem pelo Enforca Cães a viagem até à linha de meta faz-se a alta velocidade, com a descida até à estrada marginal da Figueira Foz, onde se irão percorrer os últimos quilómetros do circuito.

As subidas do Parque Florestal e de Enforca Cães.
Fonte: Figueira Champions Classic

Os nomes a ter em conta para a disputa da prova e algumas possíveis surpresas!

Com um percurso tão ondulado e ainda mais complicado do que o da temporada passada não é crível que os melhores sprinters presentes na prova consigam levar de vencida a corrida, visto que será muito complicado que consigam ultrapassar por 4 vezes a subida do Parque Florestal e ainda mais 4 vezes a subida do Enforca Cães, por isso nomes como Edward Theuns (Lidl–Trek), Mike Teunissen (Intermarché – Wanty) ou Casper van Uden (Team dsm–firmenich PostNL) poderão ser cartas fora do baralho para a luta pela vitória, no entanto tudo dependerá do ritmo imposto pelo pelotão e da maneira como seja levada a corrida. A prova deste ano irá contar com 1 cabeça de cartaz que terá de ser incluído no lote de favoritos, independentemente do desenrolar da prova: Remco Evenepoel (Soudal Quick–Step), ele que será bem secundado pelo companheiro de equipa Mikel Landa. Marc Hirschi (UAE Team Emirates), Andrea Bagioli (Lidl–Trek), Marijn van den Berg (EF Education – EasyPost), Ruben Guerreiro (Movistar Team), Rune Herregodts (Intermarché – Wanty), Vincenzo Albanese (Arkea-B&B Hotels) e Marius Mayrhofer (Tudor Pro Cycling) serão outros dos grandes favoritos a erguerem os braços na Avenida 25 de abril, no próximo sábado. Algumas possíveis surpresas na prova poderão ser: António Morgado e Isaac del Toro (UAE Team Emirates), Pelayo Sánchez (Movistar Team) e Simone Velasco (Astana Qazaqstan Team). Tal como no ano passado, é esperado que chegue, somente, um grupo restrito à linha de meta, sendo que a prova pode abrir bem cedo devido ao vento e à dureza do percurso, levando a que os ciclistas tenham um cariz mais ofensivo e a não quererem levar a prova para o risco de meta.

Casper Pedersen foi o grande vencedor, no ano passado, no entanto não estará presente. Será que a Soudal Quick–Step voltará a repetir o triunfo, este ano?
Foto: João Fonseca Photographer / Figueira Champions Classic

Em relação às equipas portuguesas, esta será a primeira oportunidade de se medirem com as equipas estrangeiras antes da Volta ao Algarve e terão, logo, uma prova de fogo dado que a qualidade das equipas internacionais é, ainda, maior do que na edição transata. Acredita-se que as estruturas nacionais quererão ser as equipas mais animadoras do dia e que tentarão estar presentes em todas as tentativas de fuga, mas também existem bons nomes para alcançarem um bom resultado na corrida. Nomes como: Artem Nych, Oliver Rees e André Carvalho (Sabgal / Anicolor), Tiago Antunes e Abner González (Efapel Cycling), Afonso Eulálio (ABTF Betão – Feirense), Luís Gomes (Kelly / Simoldes / UDO), Nicolás Tivani e Tomas Contte (Aviludo – Louletano – Loulé Concelho) e Hugo Nunes e Tiago Leal (Radio Popular – Paredes – Boavista), poderão ser os ciclistas de equipas nacionais em maior evidência na prova de sábado.

Tomas Contte abriu a temporada a vencer a Prova de Abertura – Região de Aveiro, ao passo que Afonso Eulálio foi o 2.º, e Tiago Leal o 3.º.
Foto: João Fonseca Photographer / Figueira Champions Classic

A Portuguese Cycling Magazine estará, no terreno, a acompanhar tudo sobre a prova e a viver as emoções da corrida. Estejam atentos ao nosso Instagram, na sexta-feira e no sábado, para dois dias recheados de conteúdo!

Foto de capa: João Fonseca Photographer / Figueira Champions Classic

Written by - - 483 Views

No Comment

Please Post Your Comments & Reviews

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *