Estrada, Nacional

Época 2024: As mexidas no pelotão nacional

Época 2024: As mexidas no pelotão nacional

Equipas de Clube/Sub-23

Neste ano de 2024, o pelotão nacional viu um decréscimo das equipas de clube nacionais para 6 estruturas (foram 8 em 2023, não continuam a ACDC Trofa e a Fonte Nova – Felgueiras). No entanto desengane-se quem acha que estas equipas perderam qualidade, já que existem algumas boas surpresas nestas equipas.

Começando pelo CCL / Matdiver / Anastácio Mendes & Mendes, Lda., que continuará a ser comandado por Jorge Piedade e terá 11 ciclistas (5 Elites e 6 Sub-23), irá contar com 5 ciclistas com bastante experiência no escalão Continental. Os trepadores da equipa serão Barry Miller (ex-ABTF Betão – Feirense) e Franklin Chacón (ex-Lotería de Táchira), ambos com boas atuações em várias provas importantes; Miquel Valls (ex-Aviludo – Louletano – Loulé Concelho) é um ciclista interessante para o terreno mais plano; Joan Bennassar e José María Martín Muñoz (ambos ex-Electro Hiper Europa) poderão acrescentar várias valências, sendo que Bennassar alia a sua boa ponta final a um bom ‘crono’ e Martín Muñoz tem uma boa ponta final em grupos restritos e pode surpreender em provas com ligeira inclinação. Rodrigo Moreno e André Guia podem ser os 2 Sub-23 da estrutura a ter melhores prestações e a ter em atenção durante a temporada.

A Maia / Earth Consulters terá uma equipa de 14 ciclistas composta por somente por atletas Sub-23. Uma das contratações mais sonantes é a de Marcelo Igor Gabriel, ciclista brasileiro que volta a Portugal, e que conta com 1 vitória de etapa na Volta a Portugal do Futuro no currículo. Outros nomes a ter em conta na estrutura maiata serão os de Guilherme Mesquita e Duarte Rufino e, ainda, o do ex-júnior Diogo Sousa (Silva & Vinha / ADRAP / Sentir Penafiel).

Passando para a Óbidos Cycling Team que irá continuar a sua aposta em formar talento Sub-23, irá contar com 13 ciclistas (4 atletas Elite e 9 atletas Sub-23). A contratação mais sonante é a do trepador Mikel Mujika (ex-BAI – Sicasal – Petro de Luanda) que rubricou uma boa Volta a Portugal no ano transato, sendo que Theodor Obholzer já mostrou no Tour of Sharjah que pode ser um sprinter a ter em conta no pelotão nacional e pode ser uma das surpresas do ano. Pedro Miguel Lopes (ex-Radio Popular – Paredes – Boavista) dividirá a sua época de estrada com a de BTT, sendo também um bom nome para as provas em que esteja presente. Nos Sub-23 a maior contratação foi a de João Paulo Silva (ex-Kelly / Simoldes / UDO), ele que venceu a última Volta a Portugal do Futuro. Os gémeos, Diogo e Sérgio Saleiro, e o russo Mark Kryuchkov, três dos melhores Sub-23 em 2023 serão outros nomes a ter em conta.

Óbidos Cycling Team na partida da 2.ª etapa do Tour of Sharjah.
Foto: Óbidos Cycling Team

A Porminho Team Sub-23 irá contar com 12 ciclistas (1 atleta Elite e 11 atletas Sub-23). Rui Silva (ex-Fonte Nova – Felgueiras) está de volta à equipa no seu 1.º ano como Elite e promete ser um dos destaques quando o terreno inclinar. No bloco de Sub-23, Pedro Crispim, Afonso Lopes e Claúdio Leal serão onde estarão depositadas as maiores esperanças, sendo os 3 capazes de alcançar bons resultados nas provas mais inclinadas e acidentadas a nível orográfico. Os ex-juniores Pedro Cunha e Tomás Gaspar (ex-ABTF Betão – Bairrada) e Bruno Lopes (ex-Landeiro | KTM | ACR Roriz Cycling Academy) serão outros nomes a ter em atenção.

Pominho Team Sub-23 com alguns dos reforços para 2024.
Foto: Pominho Team Sub-23

Mais uma das equipas que se manterão em cena no próximo ano será a PORTOS WINDMOB, que voltará a ter ao leme José Barros. A equipa, em princípio, será constituída por 10 atletas, no entanto ainda só é conhecida a identidade de 7 desses ciclistas (3 Elites e 4 Sub-23), à data de hoje. O espanhol Sergio Ginés (ex-High Level – Gsport) é a contratação mais sonante da equipa, ele que pode estar em bom plano em provas com ligeira inclinação ou que acabem ao sprint num grupo restrito. É esperado que a equipa complete o seu elenco com mais atletas Sub-23 provenientes da Colômbia.

PORTOS WINDMOB com alguns dos reforços para 2024.
Foto: PORTOS WINDMOB

Por fim, temos uma das mais antigas equipas de formação em Portugal, o Sport Ciclismo São João de Ver, que terá como nova denominação Santa Maria da Feira / Segmento d’Época / Reol / Bolflex. A equipa deverá contar com 17 ciclistas (4 Elites e 13 Sub-23). Nos Elites a equipa voltará a contar com os serviços de André Rodrigues, um ciclista muito combativo. Nos Sub-23, José Teixeira (ex-Paredes / Fortunna) e João Tomásio, que se destacam no contrarrelógio, serão 2 dos nomes a ter em atenção durante 2024.

Written by - - 1053 Views

Páginas: 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11

No Comment

Please Post Your Comments & Reviews

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *