Estrada, Nacional

Clássica da Primavera: O arranque da Taça de Portugal Jogos Santa Casa será feito na Póvoa de Varzim!

Clássica da Primavera: O arranque da Taça de Portugal Jogos Santa Casa será feito na Póvoa de Varzim!

As emoções da temporada velocipédica nacional retornam à Póvoa de Varzim, já no próximo domingo, com a realização da 27.ª Clássica da Primavera. A prova nortenha terá como ponto alto as clássicas 7 ascensões ao Monte de São Félix, uma subida que conta com empedrado. A grande novidade será o facto desta corrida abrir a contagem da Taça de Portugal Jogos Santa Casa, sendo a primeira das 4 provas pontuáveis para a competição.

À hora de escrita do artigo estão pré-inscritos 134 ciclistas, distribuídos pelas 15 equipas nacionais: as 9 estruturas Continentais UCI portuguesas e as 6 equipas de Clube/Sub-23; por 3 estruturas amadoras espanholas – Club Ciclista Padronés Cortizo, High Level – Gsport e Retelec – Ambilamp – Team Cycling Galicia – e, ainda, por 1 equipa Continental UCI polaca: Lubelskie Perła Polski, perfazendo um total de 19 equipas em competição.

Tudo o que precisas de saber sobre o percurso!

O percurso de 145 quilómetros é em tudo idêntico ao de edições transatas, com as habituais 7 passagens na meta volante de Navais e as 7 passagens pelo Monte de São Félix efetuadas em circuito. A partida e a chegada serão na Avenida Vasco da Gama, sendo que o circuito não passará nesse local no decurso da prova.

O percurso da Clássica da Primavera.
Fonte: Organização da prova

A subida ao Monte de São Félix, que está categorizada como 3.ª Categoria, tem cerca de 1,2 quilómetros a uma pendente média de 8,8%, é sempre o prato principal da corrida, no entanto a dificuldade do terreno continua até ao Campo de Tiro de São Pedro de Rates, passando por estradas vertiginosas, culminando com um topo perto do Campo de Tiro. É aqui que se esperam as maiores movimentações do dia e que seja onde o grupo dos favoritos se selecione. É esperado que chegue um pequeno grupo isolado à meta, ou mesmo uma vitória a solo, como a de Mauricio Moreira na última edição.

A subida do Monte de São Félix e o terreno até ao Campo de Tiro.
Fonte: Segmento de Strava

Para domingo estão previstos alguns aguaceiros no decurso da prova, no entanto não é esperada chuva forte durante a corrida.

Os nomes a ter em conta para a disputa da prova e algumas possíveis surpresas!

A prova será propícia à chegada de um pequeno grupo à linha de meta, no entanto alguns dos ciclistas mais rápidos do pelotão nacional poderão imiscuir-se na luta, sendo assim nomes como: Afonso Eulálio, Pedro Silva e Fábio Costa (ABTF Betão – Feirense); Miguel Salgueiro e Francisco Campos (AP Hotels & Resorts / Tavira / SC Farense); Tomas Contte (Aviludo – Louletano – Loulé Concelho); Rodrigo Caixas (Credibom / L.A. Alumínios / Marcos Car); Tiago Antunes (Efapel Cycling); Luís Gomes (Kelly / Simoldes / UDO); Hugo Nunes e César Fonte (Radio Popular – Paredes – Boavista); André Carvalho e José Sousa (Sabgal / Anicolor) e, ainda, César Martingil (Tavfer – Ovos Matinados – Mortágua) poderão ser os maiores candidatos a erguerem os braços na Avenida Vasco da Gama. Algumas das possíveis surpresas para a prova poveira poderão ser: Nicolás Tivani (Aviludo – Louletano – Loulé Concelho); José María Martín Muñoz (CCL / Matdiver / Anastácio Mendes & Mendes, Lda.); Francisco Guerreiro (Kelly / Simoldes / UDO); Theodor Obholzer (Óbidos Cycling Team); Sergio Ginés (PORTOS WINDMOB) e Tiago Leal (Radio Popular – Paredes – Boavista).

Quem sucederá a Mauricio Moreira como vencedor?
Foto: Eduardo Campos / UVP – Federação Portuguesa de Ciclismo

Relativamente aos Sub-23 em prova, os nomes em maior evidência poderão ser: Alexandre Montez (Credibom / L.A. Alumínios / Marcos Car); João Paulo Silva, Mark Kryuchkov e Diogo e Sérgio Saleiro (Óbidos Cycling Team); Cláudio Leal (Porminho Team Sub-23); João Martins (Radio Popular – Paredes – Boavista) e Duarte Domingues (Sabgal / Anicolor).

Conhece as equipas estrangeiras

Este ano teremos 4 estruturas estrangeiras em prova, com especial ênfase para a participação de 1 equipa Continental UCI, estrutura do mesmo nível das equipas profissionais portuguesas. Começando pela Lubelskie Perła Polski, a estrutura Continental UCI polaca estreia-se na temporada em terras portuguesas (estarão presentes em todas as provas do mês de março, em Portugal) e terá em Paweł Szóstka a sua unidade mais destacada, ele que já vestiu a camisola de líder do GP Azores, em 2019, e afigura-se como a carta principal para a prova; já Mikołaj Szulik será outro nome a ter em atenção, já que é o Campeão Nacional Sub-23 polaco de estrada e será mais um dos Sub-23 que poderá estar em evidência.

O alinhamento da Lubelskie Perła Polski para a prova de domingo.
Fonte: Facebook da equipa

Passando para as equipas amadoras espanholas, o Club Ciclista Padronés Cortizo terá no Campeão Nacional amador espanhol de estrada, Carlos Gutiérrez, a sua maior arma, no entanto tanto o trepador Ramón Fernández, como o sprinter Jorge González poderão aparecer bem na prova. Nota ainda a presença do Sub-23 Marc Torres que venceu a primeira prova da Taça de Portugal de Esperanças, no pretérito fim-de-semana e se encontra empatado com o líder João Paulo Silva nessa classificação; já a a High Level – Gsport, contará com Sergio Lorenzo e Iván Belmonte como ciclistas que poderão ter uma palavra a dizer na classificação dos Sub-23; por fim a Retelec – Ambilamp – Team Cycling Galicia aparece sem grandes referências para esta prova, com Guillermo Amigo a ser o ciclista mais cotado da estrutura.

A Portuguese Cycling Magazine estará, no terreno, a acompanhar a partida e chegada da prova e a viver as emoções da corrida. Estejam atentos ao nosso Instagram, no domingo, para um dia recheado de conteúdo!

Foto de Capa: Eduardo Campos / UVP – Federação Portuguesa de Ciclismo

Written by - - 502 Views

No Comment

Please Post Your Comments & Reviews

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *